Praça Anthenor Navarro
  • Praça Anthenor Navarro
  • Hotel Globo
  • Casarão dos azulejos
  • Pinturas ilusionistas 3D
  • Conjunto São Francisco

Centro de João Pessoa

Terceira cidade mais antiga do Brasil, e uma das cidades mais verdes e tranquilas, o centro histórico de João Pessoa é muito bem preservado. A atração principal é o conjunto São Francisco, verdadeiro tesouro de Arte e Arquitetura...

--> FOTOS do Centro histórico

--> VOLTAR para Turismo Cultural na Paraiba

O Centro histórico de João Pessoa

Veja as imagens no nosso Blog O que fazer em João Pessoa Paraiba

Se você goste de Arquitetura, Arte ou Historia, você não pode perder uma visita ao centro histórico da terceira cidade mais antiga do pais. Segunda região mais rica no passado, o Nordeste atraiu os artistas mais famosos, e isso se reflita nas Artes e na Arquitetura. Monumentos históricos como o Conjunto São Franciscano e a Igreja de São Frei Pedro Gonçalves refletem a arquitetura barroco tropical e o estilo colonial. Esses edifícios são repletos de obras de arte.

A parte alta da cidade tem uma vista imperdível sobre a mata e o rio Paraíba... parece uma visão do passado. Das janelas do hotel Globo dá como assistir ao mais lindo pôr do sol: é um verdadeiro encantamento! Na Praça João Pessoa ou praça dos três poderes, local de muitos acontecimentos históricos e políticos, se encontra a moderna Assembleia Legislativa, contrastando com o antigo Palácio da Redenção, o Tribunal de Justiça, e a Faculdade de Direito de arquitetura clássica. O estilo barroco tropical é típico da região e inclua nas obras representações das frutas da região. Também temos o estilo colonial, Art Deco, Rococó e Eclético.

O centro histórico de João Pessoa é situado a beira dum afluente do rio Paraíba e não a beira mar, por causa duma grande barreira de coral frente ao litoral: quando os Portugueses chegaram com os navios pesados, essa barreira de coral impediu chegar até a terra; a única passagem possível foi pelo rio Paraíba. Na entrada desse rio tem um farol muito antigo construído no final da barreira de corais para indicar aos navios por onde passar.

Nessa barreira de coral tem três pontos mais altos, que são: Areia Vermelha, Picãozinho e as piscinas naturais de Seixas. Na época, não tinha estradas e o rio era a única entrada da cidade. Para defendê-la, tinha uma fortaleza de cada lado da entrada do rio: o forte Santa Catarina em Cabedelo, e o forte Santo Antônio em Lucena; na ilha da Restinga, no meio do rio, tinha uma bateria de cânions. O forte em Lucena não existe mais... ele provavelmente afundou no próprio peso.