Turismo na Paraiba: a região do Cariri

por Vicente Paul por Vicente Paul

Roteiros e turismo na Paraiba: o Cariri

Turismo na Paraiba: a região do Cariri

Passeios na Paraiba: os Pontos turisticos da Paraiba

Cabaceiras

Cabaceiras está localizada na microrregião do Cariri Oriental a cerca de 300 metros acima do nível do mar, na área mais baixa do Planalto da Borborema, na região dos ‘Cariris Velhos’. Sua sede fica a 180 km de João Pessoa, na área geográfica de abrangência do semiárido brasileiro. As chuvas são irregulares e esparsas e temperaturas médias na ordem dos 30º. Com menos de 234mm de chuva durante o ano todo, as precipitações ocorrem apenas durante três meses, dando vazão a estiagens que duram até dez meses nos períodos mais secos, conferindo a Cabaceiras o título de município onde menos chove no país.

Pontos turisticos da Paraiba: Cabaceiras - PB

Composta de caatinga arbustiva, típica das regiões mais áridas do Nordeste, com cactos, arbustos e vegetação típicos como xiquexique, coroa-de-frade, juazeiro, umbuzeiro e jurema, entre outras. Uma das regiões mais visitadas de Cabaceiras é o Lajedo de Pai Mateus, uma formação rochosa que fica a cerca de 30 quilômetros do centro da cidade.

Igreja matriz Santa Rosa de Lima

Cabaceiras: Igreja matriz Santa Rosa de Lima

Roliude Nordestina

A cidade de Cabaceiras se autodenomina a ‘Roliúde Nordestina’, em uma referência aos mais de 25 filmes que foram rodados na região. O longa-metragem O auto da compadecida, por exemplo, foi gravado no centro e em arredores da cidade. ‘Cinema, Aspirinas e Urubus’, de Marcelo Gomes, e ‘Romance’, de Guel Arraes (mesmo diretor de Auto da Compadecida) são outros filmes que têm Cabaceiras como cenário. A cidade abriga um Memorial Cinematográfico.

Roliude Nordestina

Ingá

A denominação Ingá, originou-se do tupi-guarani, e significa cheio d’água. Sua formação administrativa começa com a criação do distrito denominado Vila do Imperador, depois é elevada a vila com mesmo nome, para enfim se chamar Ingá. Em Ingá, que se encontra aproximadamente a 95,6 km de João Pessoa, são famosas as pedras que relembram a pré-história.

Ingá: pinturas de Índios

Fazendo parte dos pontos turisticos da Paraiba, a Pedra do Ingá é um monumento arqueológico identificado como ‘itacoatiara’, constituído por um terreno rochoso que possui inscrições rupestres esculpidas em baixo-relevo, feitas em pedras provavelmente pelos indígenas, muito antes dos europeus chegarem ao continente americano. Não se conseguiu ainda decifrar o significado de tais inscrições. A origem do termo ‘Itacoatiara’ vem do Tupi. É uma forma aportuguesada de itã, que quer dizer ‘pedra’ ekûatiara, que significa ‘riscada’ ou ‘pintada’.

A formação rochosa em gnaisse cobre uma área de cerca de 250 m². No seu conjunto principal, um paredão vertical de 50 metros de comprimento por 3 metros de altura, e nas áreas adjacentes, há inscrições cujos significados são desconhecidos. Neste conjunto estão talhadas em baixo relevo, figuras diversas, que sugerem a representação de animais, frutas, humanos e constelações como a de Órion. Há um prédio de apoio aos visitantes, com banheiros e instalações de um museu de História Natural, com vários fósseis e utensílios líticos, que foram encontrados na região onde hoje fica a cidade.

As inscrições de Ingá

Costuma-se associar as imagens das inscrições rupestres da Pedra do Ingá apenas ao paredão vertical. Porém todo o terreno rochoso possui inscrições das mais diversas formas, onde foram empregadas variadas técnicas de gravura em pedra. A razão pela qual essas inscrições se diferenciam das demais por sua simplicidade é mais um dilema entre os pesquisadores. Vanderley de Brito propõe que poderiam ser sido produzidas por culturas anteriores a que produziu as inscrições principais. Dennis Mota, já tem outra explicação: a de que as inscrições marginais poderiam ter servido de esboço para as inscrições dos painéis, mais elaboradas.

A Pedra de Ingá

Não se sabe como, por quem ou com que motivações foram feitas as inscrições nas pedras que compõem o conjunto rochoso. Têm sido apontadas diversas origens, e há muitos que defendem que a Pedra do Ingá tenha origem fenícia. Também há uma corrente que defende que os sinais do Ingá foram obra de engenharia extraterrestre. O ufologista Cláudio Quintans sugeriu que naves alienígenas teriam pousado na região da Pedra do Ingá, o ufólogo chegou a recolher amostras do solo, onde, segundo ele, tais naves teriam pousado, mas não houve maiores conclusões acerca dessas afirmativas. Outro pesquisador, Gilvan de Brito, no livro ‘Viagem ao Desconhecido’, afirma existir no Ingá fórmulas de produção de energia quântica e até combinações matemáticas que poderiam apontar a distância entre a Terra e a Lua.

Ingá: geologia (formado pela água)

Ingá: geologia (formado pela água)

Passeios de Ecoturismo na Paraiba

Lajedo do Pai Mateus -> Início da página

O Lajedo de Pai Mateus é uma formação rochosa localizada na cidade de Cabaceiras, no estado da Paraíba (Brasil). É composto com grandes pedras arredondadas (chegam a pesar 45 toneladas) que destacam-se sobre o chão de pedras e a vegetação escassa da região do Cariri Paraibano. O lajedo fica a cerca de 25 km da cidade de Cabaceiras e está situado dentro de uma propriedade particular, o Hotel Fazenda Lajedo Pai Mateus. Segundo estudos a formação rochosa peculiar é fruto do desgaste do solo ao longo de milhões de anos, em função de fissuras naturais e grandes variações de temperatura. Em algumas pedras são encontradas pinturas rupestres atribuídas aos índios cariris, que viveram na região há cerca de 12 mil anos.

Lajedo do Pai Mateus

Conta a lenda que um ermitão curandeiro viveu naquela região por volta do século 18, o qual habitava neste lajedo e muitas pessoas procuravam-no para consultar-se. Pai Mateus não cobrava dinheiro em troca de suas curas, apenas comida. Por causa deste ermitão é que o lajedo de Pai Mateus tem este nome. Pai Mateus Era um índio curandeiro da região, que morava no lajedo. A serra era habitada por índios cariris em torno de 200 à 300 anos atrás. Ainda a vestígios de restos mortais, de índios que eram sepultados dentro de potes de barros que não são permitidos a visitação turística. Outros eram sepultados em locas de pedras.

Lajedo do Pai Mateus

Lajedo do Pai Mateus

Lajedo do Pai Mateus: abrigo natural

Lajedo do Pai Mateus: geologia muito antiga

Lajedo do Pai Mateus - PB

Lajedo do Pai Mateus: pedras em forma de capacete

Lajedo do Pai Mateus: pedras em forma de capacete

Lajedo do Pai Mateus: dentro duma pedra...

Lajedo do Pai Mateus: dentro duma pedra...

Lajedo do Pai Mateus - Cariri

Lajedo do Pai Mateus - Cabaceiras

Lajedo do Pai Mateus

Lajedo do Pai Mateus: dentro duma pedra...

Lajedo do Pai Mateus: paisagem de filme!

Lajedo do Pai Mateus: pôr do sol magico!

Saca de Lã

Monumento sem igual, Saca de Lã é uma obra de arte produzida pela natureza? São vários blocos dispostos um em cima do outro de uma maneira que chega a deixar dúvidas se não houve ali à mão humana. Como se não bastasse, no alto do conjunto formado por pedras retangulares uma bola de granito desafia quem se atreve a explicar a obra. Um belíssimo lago, formado pelas águas das chuvas, completa o cenário. Ali a água ganha tons verdes e contradiz o estereótipo de seca criado em relação à região.

Saca de Lã - Cariri

--> Início da página

--> VOLTAR para Passeios na Paraiba